[kads group="topo-1"]


A vida não é melhor quando vemos o lado bom?

A vida não é melhor quando vemos o lado bom?

Quando olhamos à nossa volta vemos os opostos.

Poderíamos ficar só com o claro e desprezar o escuro? Ou valorizar somente o calor, em detrimento do frio? Agradecer somente pela chuva e esquecer da seca? Pedir somente a tranquilidade, deixando de lado os desafios? Desconsiderar a dor e prestar atenção somente na paz? Premiar somente o acerto sem compreender o erro como uma de usas etapas?

E quando nos olhamos no espelho igualmente vemos opostos.

Vemos acertos e erros. Lembramos de momentos de dor e de paz. Vemos épocas de facilidade e outras de desafios. Às vezes somos serenos, às vezes não. Às vezes compreendemos, às vezes não.

Mas como esperamos ser vistos pelos outros? Não há dúvida de que esperamos que o melhor em nós seja visto. É natural. Ou, que tenhamos mais uma, mais outra, muitas outras chances. E como é bom quando isso tudo acontece. O reconhecimento do que temos de melhor, ou chances diversas para nos desenvolvermos.

Melhor ainda quando conseguimos entregar isso a outras pessoas. O que dizer a um filho sobre sua mãe ou pai? O que dizer a um pai ou mãe sobre seus filhos? O que dizer sobre você a quem ama você? O que dizer a você sobre quem você ama? O melhor. Apenas o melhor.

O fundamento lógico disso é: somos iguais. Filhos do mesmo pai. Fazemos cada um o seu melhor. E olhando as coisas por este ângulo fica mais fácil fazer algo muito bom por nós mesmos: ver o que há de bom em tudo, principalmente nas outras pessoas. Se olharmos com atenção vamos encontrar muitas coisas boas…. em alguns o carinho com os familiares, em outros o cuidado com os animais. Também vamos encontrar a atenção com os detalhes, ou a responsabilidade. Ainda encontraremos o cuidado com a natureza, ou a preocupação com a condição da sociedade. Não precisaremos ir longe para encontrar pessoas muito habilidosas no trabalho, nas artes, na expressão verbal ou literária. Enfim, nossos dias podem ser um passeio em meio a inúmeras descobertas, e todas com uma única origem… Deus.

Compartilhe:

Sobre o Autor

Nelson José Wedderhoff

Nelson José WedderhoffEngenheiro Eletrônico; Professor Acadêmico na Faculdade Doutor Leocádio José Correia (FALEC); Coordenador de Grupos de Estudos Espíritas; e Conselheiro Editorial da revista SER Espírita.

Todos os Posts de: Nelson José Wedderhoff