Ectoplasma Imprimir E-mail

Ectoplasma, o fluído do bem

Energia intermediária entre a matéria e o polissistema espiritual, o ectoplasma contribui para o auxílio ao próximo tornando, assim, o mundo cada vez melhor

Você já pensou em auxiliar pessoas a distância com uma substância que o seu próprio corpo produz? Com o ectoplasma isso é perfeitamente possível. Mas, afinal, o que é ectoplasma e como a ajuda ao próximo pode ser colocada em prática?

 

Para quem não conhece o termo ou nunca teve a oportunidade de ler sobre o assunto, em princípio essa palavra assusta um pouco, já que durante muito tempo o ectoplasma foi taxado como algo sobrenatural, e ilustrado com figuras recorrentes em livros espíritas e artigos sobre o tema. Exemplos são imagens em que uma substância branca sai da boca ou dos ouvidos do médium; ou outras em que um espírito materializado se posiciona próximo ao doador do ectoplasma.

Porém, com a evolução dos conhecimentos sobre o Espiritismo, chegou-se à conclusão de que essa energia que serve de intermediária entre os dois polissistemas (e é por isso que ela é tão importante) está em todos os seres (animais ou vegetais) e não traz nada de sobrenatural. Pelo contrário, o ectoplasma é algo tão natural que é produzido pelo próprio corpo e é utilizado pelos espíritos para o auxílio ao próximo.

De acordo com o médico ortopedista de Curitiba, Luis Antonio Bauer – que estuda o tema há anos – essa energia é produzida pelas células. Segundo ele, há estudos que indicam que a substância se origina das mitocôndrias (parte da célula responsável pela produção de energia da mesma) ou do complexo retículo-plasmático. Há ainda outros estudiosos que acreditam que a produção vem do citoplasma.

Daí vem a definição: Ektós, que significa `por fora´ e Plasma, o mesmo que `molde´. Mas o mais provável, conforme estudos do médico, é a produção na mitocôndria. Tudo isso foi estudado já no início do século XX pelo cientista francês Charles Richet, fundador da Metapsíquica (ciência que estuda os fenômenos mecânicos ou psicológicos provocados por forças desconhecidas). Richet ganhou o Prêmio Nobel de Medicina em 1913 e afirmou que o ectoplasma está presente não só nas células humanas, mas também nos animais e vegetais. Outros pesquisadores também estudaram o ectoplasma, como César Lombroso, Alexandre Aksakof, Willian Crookes e Gabriel Delanne. Nos livros de Allan Kardec, o codificador da Doutrina Espírita, o ectoplasma é tratado como “fluido universal”.

No entanto, até hoje não há muitos livros que tratem do tema ou estudiosos que investiguem essa energia tão importante no processo de ajuda ao próximo. Não há provas científicas, por enquanto, da existência do ectoplasma, segundo Bauer. “Acredita-se que, de toda energia liberada pela célula, de 40 a 50% é aproveitado pelo corpo. E um percentual desses 50% seria, então, o ectoplasma”, esclarece.

FUNÇÕES

O ectoplasma pode ter duas funções principais: ...

 

Leia a matéria completa na edição 11 da revista SER Espírita. Já nas bancas! Ou assine aqui.

 

Realização