Revista SER Espírita
Olhos da alma
PDF Imprimir E-mail

Diariamente acompanhamos notícias que nos chegam de todos os lugares do mundo em tempo real e na maioria das vezes percebemos que o foco é a nossa vida material e as grandes tragédias... Não recebemos informações dos abnegados Médicos sem Fronteiras que dedicam suas vidas a ajuda humanitária. Não sabemos dos heróis anônimos que estão em Laboratórios, Universidades e em lugares simples fazendo o melhor pela humanidade. Apenas vivemos a vida material recheada de orgulho, vaidade, luta pelo poder e glória. É por isso que estamos ficando doentes da alma. A depressão e outros sintomas têm entristecido o ser humano. É preciso haver o equilíbrio entre a vida espiritual e material para que o ser humano possa evoluir e ser feliz.

Esse presente chamado vida tem inúmeras alegrias que só podem ser percebidas e sentidas com a alma. É preciso aprender a sentir as emoções que nos chegam de todas as maneiras para não nos tornarmos seres ocos e secos por dentro. Nenhum de nós sabe quando será a partida para o polissistema espiritual, portanto necessitamos avaliar o que temos feito de nossas vidas para que não sejamos pegos de surpresa... É muito triste viajar com a alma cheia de mágoas, ressentimentos e remorsos acumulados.

Se após a sua avaliação perceber que sua vida é apenas material, reflita e busque a sua luz interior para que ela o ilumine na sua busca espiritual. O mundo passa a ter um colorido diferente quando nos abrimos à vida espiritual do ser. Reencontrar-nos-emos com a nossa essência e nesse instante fazemos conexões com nossos irmãos encarnados e desencarnados num processo contínuo de evolução e aprendizado. A nossa vida pode ser uma alegria constante, uma colheita abençoada a cada dia desde que tenhamos a coragem de abrir os olhos da alma. Nesse abrir os olhos da alma o ser humano percebe o que realmente importa nessa vida: o AMOR que une todos os seres nessa e na outra vida.
 
Por Lucy Tavernezi 
 

Realização